Carregando

0%

Uma das formas de pagamento mais tradicionais durante décadas no Brasil vai chegar ao fim hoje, visto que o Banco Central decidiu acabar definitivamente com as transferências via TEC (Transferência Especial de Crédito) e DOC (Documento de Ordem de Crédito), a decisão passa a valer nesta quinta-feira (29).

Desde que foi anunciada a decisão, os bancos, fintechs e carteiras digitais puderam estender para seus clientes o uso do TEC e DOC até 15 de janeiro, sendo que hoje é a data limite final para quem tinha pagamentos agendados com essa modalidade.

O fim dos pagamentos por TEC e DOC foi divulgado em maio de 2023, após a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) ter o apoio de mais de 114 bancos, que concordaram que as duas modalidades não oferecem mais o melhor custo-benefício aos clientes.

Publicidade
Publicidade

Fim das transferências TEC e DOC

A TEC é um tipo de transação financeira exclusiva para empresas, a qual é utilizada para o pagamento de benefícios a funcionários. Já a DOC é um meio de pagamento bancário que permite a transferência de valores até R$4.999,99.

No DOC, as operações eram efetivadas um dia após o recebimento da ordem de transferência pelo banco. Já na TEC, a transferência era efetuada, no máximo, até o final do dia em que foi dada a ordem.

Com o uso cada vez mais frequente do Pix no Brasil, começou a ficar obsoleto e até mesmo inviável para os bancos continuarem a oferecer as transações TEC e DOC, que eram utilizadas no Brasil há mais de 40 anos.

Publicidade

De acordo com o levantamento oficial da Agência Brasil, nesta quinta-feira (29 de fevereiro) estavam agendados os últimos pagamentos e logo após os bancos terminarem de processá-los, darão como encerradas do sistema as transferências bancárias TEC e DOC.

Nos últimos anos, o DOC e a TEC perderam espaço para o Pix, sistema de transferência instantânea do Banco Central sem custo para pessoas físicas. Criado em 1985, o DOC permite o repasse de recursos até as 22h, com a transação sendo quitada no dia útil seguinte à ordem. Caso seja feito após esse horário, a transferência só é concluída dois dias úteis depois”, explicou a agência.

O que vai mudar?

Segundo o Banco Central, as transações do tipo TED (Transferências Eletrônica Disponível) continuam funcionando normalmente, bem como o Pix, que é considerando atualmente o meio de pagamento digital mais popular entre os brasileiros, perdendo apenas para o uso dos cartões de débito e crédito.

Inclusive, de acordo com o último levantamento da Febraban, o DOC não estava nem entre as cinco formas de pagamento mais usadas em 2023 no Brasil. A preferência é: Pix, cartão de crédito, cartão de débito, boleto bancário, TED, cheque e DOC.

Aposta no Drex – moeda digital brasileira

O Banco Central está em fase final de desenvolvimento e teste da Drex, a moeda digital brasileira, que poderá ser lançada oficialmente em breve e promete ter um grande impacto na economia do país.

Isso porque o Drex pode facilitar o acesso a serviços financeiros para pessoas que não possuem conta bancária ou que estão fora do sistema financeiro tradicional.

Além disso, diferente do Pix, o Drex  pode ser usado para realizar pagamentos instantâneos e de baixo custo para qualquer pessoa ou empresa (inclusive transferências internacionais), mesmo que não tenha conta bancária.