Buscando Empréstimo...
0%

Taxas e tarifas cobradas em empréstimos: Conheça e se proteja!

Informação gera boas escolhas financeiras, então, confira aqui o que pode ou não ser cobrado na contratação de um empréstimo!
31/03/2022

Quando você vai fazer a simulação de um empréstimo, diversas siglas e tributos são lançados, como o CET, por exemplo. Mas, você sabe quais são as taxas e tarifas que podem ser cobradas em empréstimos?

Além disso, você sabe como analisar quando o empréstimo X é mais vantajoso para o seu bolso que o empréstimo Y? Bom, saiba que a taxa de juros informada no contrato é apenas a ponta do iceberg… Você deve se preocupar mesmo é com todos os outros custos embutidos na operação, que tornam o pedido de crédito mais caro.

Então, para não ser enganado pelas “letras miúdas” e escolher um empréstimo para você que realmente vale a pena, preparamos este guia, para que você conheça quais são os encargos e quando podem ser cobrados! Vamos conferir?!

Lista de taxas e tarifas cobradas em empréstimos

Pela legislação brasileira, as empresas que trabalham com a oferta de crédito, como o empréstimo, devem seguir algumas regras, dentre elas os encargos e custos que envolvem a operação. Confira a seguir quais são eles!

Taxa de juros

Com certeza você já ouviu falar que um empréstimo consignado tem uma taxa de juros menor que um empréstimo pessoal, não é mesmo? Além disso, também pode ter escutado por aí que o empréstimo com garantia é o que tem as menores taxas do mercado, certo?

Leia mais:

Bom, isso se refere aos juros que serão cobrados pelo banco ou financeira por estar emprestando dinheiro a você.

Geralmente, essa é a única taxa apresentada ao consumidor quando ele vai fazer uma simulação de crédito, seja em empréstimos online ou em estabelecimentos físicos.

Mas, o que faz um empréstimo ter uma taxa mais baixa que outro? Bom, muitos critérios são levados em conta para definir quais serão os juros para determinado cliente, como:

  • Tipo de empréstimo
  • Se o contratante oferece garantia (quanto melhor a garantia, mais barato)
  • Risco de inadimplência (basicamente via score de crédito nos birôs de crédito)
  • Taxa de juros básica do país (quanto maior a Selic, mais caro fica o crédito)
  • Política financeira de cada instituição (bancos e financeiras digitais costuma ter taxas mais baixas que as instituições tradicionais, por exemplo)

Leia mais:

Custo Efetivo Total (CET)

Essa é talvez uma das taxas mais ignoradas pelos consumidores, mas que realmente faz a diferença no valor da sua dívida.

Resumidamente, o CET é o total de todos os encargos e custos envolvidos na concessão do crédito ao cliente, isto é, todas as taxas que você pagará pelo empréstimo.

Às vezes, o empréstimo pode oferecer uma taxa de juros de 0,89%, mas o CET é altíssimo, não compensando se comparado à outra instituição, por exemplo.

Vamos comparar dois exemplos para você entender melhor do que estamos falando…

O Banco X lhe oferece um empréstimo consignado com taxa de 2,90% ao mês. Nesse caso, teríamos o seguinte valor de CET:

  • Juros: 2,90% mensais
  • IOF: 2% ao mês
  • Taxa administrativa: 5% ao mês
  • CET = 9,90% mensal

Já o Banco Y lhe oferece o mesmo valor de crédito consignado, mas com uma taxa de 1,75% ao mês. Confira o valor do CET nessa instituição:

  • Juros: 1,75% mensais
  • IOF: 2% ao mês
  • Taxa administrativa: 5% ao mês
  • TAC: 4% no mês
  • Seguro: 6% ao mês
  • CET = 18,75% mensal

Assim, comparando os dois exemplos, no segundo empréstimo você paga quase o dobro do valor devido ao CET, ou seja, nunca contrate crédito apenas olhando a taxa de juros.

Por isso, dentre as taxas e tarifas cobradas em empréstimos, essa é a que você mais deve analisar e calcular para ver se vale a pena.

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

Dentre as taxas e tarifas cobradas em empréstimos, o IOF sempre está presente, considerando que esse é um imposto federal obrigatório em financiamentos, empréstimos, operações de câmbio e títulos imobiliários.

Basicamente, esse encargo serve para regular a economia brasileira, visto que o montante arrecadado vai para a União.

Via regra geral, nos empréstimos é cobrada uma taxa de 0,38% de IOF, sobre a quantia pega emprestada, mais uma porcentagem de 0,0082% todos os dias, conforme o número de parcelas do seu crédito.

Taxa de Abertura de Crédito (TAC)

Sim, além dos juros e do IOF, a famosa TAC é cobrada por diversas instituições e muitos consumidores não fazem a mínima ideia que estão pagando.

No entanto, saiba que a cobrança da TAC não é obrigatória na contratação do empréstimo, ou seja, você não precisa pagar se não quiser, basta procurar uma instituição que não cobre tal taxa.

Geralmente, essa taxa de juros é cobrada pelos bancos e financeiras com o intuito de cobrir custos com a análise de crédito do cliente, ou seja, não é uma responsabilidade sua.

Seguro

Na lista de taxas e tarifas cobradas em empréstimos temos o seguro, que é oferecido por algumas instituições para que o cliente tenha mais garantias na hora de pagar as parcelas.

De modo geral, o seguro é uma forma que o cliente tem de ficar mais tranquilo caso imprevistos aconteçam e ele não consiga pagar o empréstimo, como no caso de perder o emprego ou até mesmo vir a óbito e deixar a dívida para a família.

No caso do empréstimo com garantia de imóvel, por exemplo, mesmo que o cliente venha a falecer, a instituição pode cobrar a dívida judicialmente, indo a casa a leilão para quitar o saldo devedor, por exemplo.

O seguro mais conhecido no mercado é o Seguro Prestamista, que garante o pagamento do empréstimo em casos de emergência.

Contudo, saiba que mesmo sendo importante e em alguns casos bem vantajoso para o bolso, a contratação de seguros em empréstimos não é obrigatória, conforme o que diz a Resolução nº365, de 11 de outubro de 2018, ou seja, o cliente pode optar se deseja incluir essa taxa ou não nas parcelas do seu empréstimo.

Taxas Administrativas

Por fim, mas não menos importante, na nossa lista de taxas e tarifas cobradas em empréstimos temos os encargos administrativos.

Estamos falando de taxas para cobrir despesas administrativas da instituição e também tarifas para fazer e manter o cadastro do cliente na instituição.

Esse tipo de taxa pode variar bastante de uma empresa para outra, dependendo da sua política financeira.
Contudo, saiba que segundo o Código de Defesa do Consumidor (Inciso I do artigo 39) essa é uma taxa bancária abusiva, pois está associada à venda casada.

A venda casada é um termo do mercado para se remeter a casos em que o cliente é obrigado a contratar e pagar por serviços para ter acesso ao crédito solicitado.

Dessa forma, você não é obrigado a pagar a taxa administrativa durante um empréstimo, considerando que é uma prática ilegal, no qual é dever da instituição arcar com os custos da operação e não o consumidor.

Conclusão

Então, gostou de saber mais sobre as taxas e tarifas cobradas em empréstimos? Muitas delas são obrigatórias e outras são opcionais, mesmo que muitas instituições não informem isso aos seus clientes.

Por isso, para economizar e não pagar até 3x mais o valor que pediu emprestado, fique atento a todos esses encargos no seu contrato, analisando a real necessidade de pagar cada um deles!

Posts relacionados