Educação financeira: Como, quando e quanto dar de mesada para seu filho

Veja neste guia completo tudo sobre a mesada para os filhos, para te auxiliar em como inserir a educação financeira na vida de seus filhos!
26/05/2021

Você sabia que aproximadamente 26% das mães de crianças e adolescentes adotam a mesada como forma de ensinar os filhos a lidarem com seu dinheiro?

O dado acima é de uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil e pelo portal Meu Bolso Feliz e ela mostrou ainda que a média da idade em que os filhos começam a receber dinheiro dos pais é de nove anos e o valor médio é de R$ 123,00.

Por conta disso, podemos considerar que a mesada é o primeiro passo para construir uma educação financeira desde pequeno, por isso, a seguir abordaremos mais sobre este assunto.

Principais gastos entre quem recebe mesada

Sendo a mesada para filhos uma das primeiras fontes de renda dos pequenos, então, é um excelente instrumento para trabalhar a educação financeira em casa. Isso porque esse dinheiro gera experiências, motiva, cria responsabilidade, ajuda nas conquistas pessoais, entre outras oportunidades de aprendizado, inclusive para saber lidar com as frustrações e limitações financeiras.

Mas, para ser bem aproveitada é preciso que seu uso seja orientado, ou seja, não basta colocar dinheiro na mão da criança e pronto. É papel dos pais dar a devida orientação, acompanhar o uso do dinheiro, avaliar se está sendo bem aproveitado, ajudar a corrigir o uso e também orientar para a criança/jovem tirar mais proveito das oportunidades.

  • Compra de lanches: 45,7%)
  • Reserva para comprar algo que goste: 39,9%
  • Brinquedos e jogos: 38,7%
  • Livros e revistas: 36,8%

Então, se você faz parte dos pais que tem um bom controle das finanças e consegue liberar um valor de mesada a seu filho, saiba que este guia é para você. Veja a seguir tudo sobre a mesada educativa, aprendendo exatamente como, quando e qual o valor justo a liberar para seu filho! Vamos lá?!

Benefícios de dar mesada aos filhos

Agora que você já entendeu mais sobre o que significa mesada, precisa começar a pensar sobre os benefícios desse tipo de estratégia. Como você deve ter percebido mesada não é só dinheiro, pois é um hábito financeiro que pode fazer toda a diferença no futuro de seu filho.

O quanto antes as crianças e adolescentes começarem a ter contato com o dinheiro, mais cedo aprenderão a lidar com ele, certo?

Por isso, para lhe provar que liberar uma pequena quantia para os filhos pode ser o pilar de ouro de um jovem bem sucedido, separamos alguns benefícios que a mesada oferece, veja a seguir:

  • Aprender a viver com limites: o próprio estipulado para a mesada já servirá para criar essa maturidade;
  • Saber escolher e ter prioridades: ensinará a seu filho a refletir sobre como gastar o dinheiro, se é melhor comprar ou juntar, enfim;
  • Planejamento e controle financeiro: mostrará que é preciso saber esperar a data de receber o dinheiro, assim como começar a poupar, pois em alguns casos será preciso juntar mais de uma mesada para obter a soma desejada para gastar;
  • Desenvolvimento de confiança em si mesmo e independência: ajudará seu filho a fazer a própria gestão de seus recursos.

Com o tempo, a mesada para filhos irá ensinar que nem sempre é bom gastar o valor rapidamente ou de uma vez só, pois isso refletirá negativamente na realização de seus desejos. Assim, muitas crianças e adolescentes aprenderão a poupar, juntar e até a investir (uma boa dica nesse sentido é a mesada programada Bradesco, por exemplo).

Então, o manuseio do dinheiro ajudará seus filhos à desde novos vivenciarem situações semelhantes à realidade da vida financeira dos adultos. A boa notícia é que nessa fase da vida é tempo de errar e aprender mesmo, onde os erros no uso do dinheiro ajudarão a construir experiência para o futuro, trazendo assim consequências positivas para a vida toda.

Qual a idade ideal para liberar a mesada?

Muitos pais ficam em dúvida sobre a idade certa para liberarem a mesada para filhos, ou seja, com que idade começar. Essa é uma questão polêmica, visto que não há um consenso entre os especialistas sobre que faixa etária é melhor liberar dinheiro a crianças.

Entretanto, a maioria concorda que a liberação da mesada educativa pode iniciar a partir do período de alfabetização, normalmente aos sete anos.

Como definir o valor da mesada educativa e a frequência?

Já vimos que mesada não é só dinheiro, não é mesmo? Mas, não podemos negar que o valor e a frequência pode fazer diferença, especialmente se compararmos a idade, certo? Então, o valor deve ser mensal? Bom, para responder essa pergunta é preciso entender o que é mesada.

Mesada é um termo que se referente à distribuição de dinheiro de forma regular que os pais fazem aos filhos, seja essa com frequência semanal, quinzenal ou mensal. Por isso, saiba que você que irá ajustar a quantia e frequência da mesada dos pequenos, levando em conta o que ficar melhor em seu orçamento familiar.

Com relação ao valor, não existe uma regra do quanto deve ser dado a seu filho, já que isso depende de onde a família mora, o número de membros da casa (especialmente se tiver mais de um filho), a renda familiar e os hábitos da família.

Mas, um bom parâmetro para definir o valor da mesada é a observação dos hábitos e necessidades do seu filho durante dois meses. Além disso, outra estratégia bem interessante é conversar com pais dos amiguinhos de seu filho, para saber se a mesada está compatível com o estilo de vida de vocês e com os valores da turminha dele.

De modo geral, vale a seguinte regra: Nem valores muito altos, nem muito baixos. Na média está ótimo. E, se ficar em dúvida entre os valores, sempre escolha o menor, pois a escassez ensina mais do que a abundância.

Com o passar do tempo, verifique como está sendo feito o uso da mesada e quais são os novos hábitos de seu filho, para reavaliar se o valor ainda está adequado. Se você ficou na dúvida sobre quanto dar e a frequência, a seguir mostramos uma sugestão de valores de acordo com a idade:

  • Até 5 anos de idade: mesada eventual (até R$40,00 mensais)
  • Entre 6 e 8 anos: mesada semanal (R$60,00 mensais)
  • Entre 9 e 11 anos: mesada quinzenal (R$100,00 mensais)
  • Mais de 12 anos: mesada mensal (R$120,00 mensais)

Dicas para os pais

Chegamos ao fim do nosso guia de mesada para filhos e mesmo assim, alguns pais ainda ficarão com dúvidas, já que se trata de um assunto bem delicado e que exige um maior conhecimento de educação financeira. Por isso, separamos algumas dicas de ouro para os pais que têm filhos na idade de ganhar mesada! Aproveite!

  • Escolha dias fixos para o pagamento da mesadinha: Para pagamentos semanais, o domingo é o dia geralmente escolhido. No caso de pagamentos mensais, o bom seria coincidir com a data da principal fonte de renda do pai ou da mãe, especialmente quando são assalariados;
  • Evite atrasar ou adiantar a mesada: É importante que seu filho se acostume com conceitos de regularidade, adimplência e responsabilidade. Por isso, faça a sua parte, ou seja, evite atrasos ou adiantamentos, No caso de atrasar, uma multa simbólica ao valor da mesada é uma boa dica. Já se a criança ou adolescente insistir em pedir adiantamentos, cabe negociar algum desconto;
  • Acompanhe o uso do dinheiro: O acompanhamento e o controle da mesada pode ser mais flexível para aqueles que demonstram mais responsabilidade e mais rígido para quem apresentam sinais de que não vêm fazendo uso adequado do dinheiro;
  • Regras claras evitam problemas: Estabeleça regras e limites de maneira clara logo no início. Faça acordos com seu filho do que pode ou não ser feito com o dinheiro da mesada;
  • Procure contemplar na mesada um valor destinado à poupança: É importante que as crianças e jovens criem o hábito de poupar e investir desde pequenos. Assim, quando possível, dê também um cofrinho, abra uma conta poupança ou faça pequenos investimentos com o valor da mesada, para que no futuro seu filho tenha um bom dinheiro para suas despesas e sonhos;
  • Pague em dinheiro: Até a criança se acostumar com a mesada, o ideal é pagar em dinheiro mesmo. Depois, na adolescência, você pode avançar para o uso de cartão de débito ou cartão mesada.

Prontinho, viu como a mesada não é um bicho de sete cabeças? É mais fácil do que você imagina dar dinheiro a seus filhos com responsabilidade!

E nunca se esqueça, que desde a mesada infantil, a base de todo esse negócio é a educação financeira, ou seja, ensine seu filho a lidar com o dinheiro, gastando de forma consciente!

Posts relacionados