Buscando Cartão...
0%

Dicas valiosas para negociar as dívidas do cartão de crédito

Guia com as principais dicas para você negociar os débitos do cartão de crédito com o melhor custo-benefício!
18/01/2022

O cartão pode ser um ótimo aliado no orçamento das famílias, entretanto, seja pelo uso sem planejamento ou por imprevistos financeiros da vida, acabamos não conseguindo pagar a fatura e aí parece que a conta entra numa “bola de neve”. Por isso, é essencial saber como negociar as dívidas do cartão de crédito.

Essa não é uma tarefa fácil, afinal, o cartão de crédito é o produto financeiro com o maior juros no Brasil, ou seja, a fatura que você deixa de pagar aumenta de valor muito rápido e em pouco tempo.

Mas, com as dicas certas você consegue negociar a sua dívida tendo melhores condições de pagamento e assim limpar seu nome e voltar a ter crédito no mercado.

Então, se você se endividou no cartão de crédito e quer saber como sair do vermelho e melhorar essa situação, continue conosco que separamos as melhores dicas para resolver esse problema o mais rápido possível! Confira!

Porquê negociar as dívidas do cartão de crédito?

Não pagar a fatura do mês ou pagar somente o valor mínimo é um péssimo hábito do usuário de cartão de crédito, pois os juros podem passar de 300% ao ano.

De modo geral, fora as contas básicas de consumo e financiamento, a sua prioridade deve ser sempre o pagamento do cartão de crédito.

Inclusive, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, o cartão é o maior motivo do endividamento em nosso país, pois cerca de 76% das famílias têm algum débito relacionado ao cartão.

Mas, além das altas taxas de juros cobradas, que fazem sua dívida aumentar muito, temos também a questão de ficar com o nome sujo.

Ao deixar de pagar sua fatura, você entra para o cadastro de inadimplentes dos birôs de crédito como o Serasa e SPC e assim, além de ficar com restrição ao crédito, caso consiga, pagará muito mais caro.

Por exemplo, pode ser que mesmo negativado você consiga aprovar um empréstimo pessoal, mas pode ter certeza que os juros pagos serão mais elevados do que de uma pessoa com o nome limpo, devido ao risco de inadimplência.

Ah, e não pense que a dívida “caducando” após os cinco anos você se livrará da dívida… Por mais que seu nome saia da lista de inadimplentes após esse período, o débito continua existindo e podem continuar prejudicando suas futuras solicitações de crédito no mercado.

Como negociar as dívidas do cartão de crédito com sabedoria?

Se você está enfrentando esse tipo de problema e quer resolver a situação, saiba que nós temos o caminho para você!

Veja a seguir as dicas que separamos para você se livrar dos débitos com o cartão de crédito da melhor forma possível, isto é, pagando menos juros e com parcelas que caibam no seu bolso!

1 – Encontre a melhor maneira para pagar

Independente do tipo de dívida, o primeiro passo é sempre a organização para entender como as parcelas da renegociação podem ser incluídas no seu orçamento sem lhe criar ainda mais problemas.

Por isso, a primeira dica de como negociar as dívidas com cartão de crédito é encontrar a melhor forma de pagamento para você.

Para isso é importante pensar sobre alguns aspectos, como:

  • O credor oferece pagamento à vista e parcelado?
  • No caso da quitação à vista, qual é o desconto oferecido?
  • Se optar pelo parcelamento da dívida no cartão, o prazo oferecido é flexível?
  • Quais são as taxas de juros oferecidas na negociação?

Baseado nisso você encontrará o melhor caminho. Por exemplo, se você deve R$5.000,00 e o desconto à vista é de 30%. Nesse caso você precisaria de R$3.5000 para pagar à vista.

Você tem esse dinheiro? Se não, vale a pena pegar um empréstimo? Você vai pagar mais de R$1.500,00 com o empréstimo?

Nesses casos sempre falamos em trocar uma dívida cara por uma mais barata, ou seja, veja qual tem o menor juros. Se você conseguir um empréstimo com juros mais baixos do que o desconto, então vale a pena.

Se você não conseguir um empréstimo mais barato, a dica é escolher o parcelamento, mas sempre negociando, para pagar o mínimo de juros possível.

2 – Atenção aos seus direitos

Quando estamos negativados, a tendência é querer resolver a situação a todo custo e nisso, acabamos não sendo tão racional…

O problema é que precisamos ser racionais na hora de negociar as dívidas com cartão de crédito, pois a oferta de quitação do débito tem que ser boa para ambas as partes.

Acontece muito por aí dos bancos e financeiras emissoras do cartão não baixarem nada dos juros da dívida ou até mesmo “embutir” produtos e serviços junto ao valor da negociação.

Por isso, fique atento aos seus direitos do consumidor e não aceite nenhuma proposta que não seja boa para você, pois o cliente não é obrigado a aceitar a oferta.

Uma dica muito legal é quando você não conseguir uma oferta de renegociação que caiba no seu bolso e o banco for inflexível, procurar o Procon, para que esse órgão intermedeie a negociação.

Além disso, com a nova lei do superendividamento, saiba que você pode quitar todas as suas dívidas através de uma só proposta, com as condições que ficarem boas no seu orçamento.

3 – Não negocie uma dívida que não poderá pagar

Lembra que falamos que é preciso pensar no melhor meio de pagamento? Bom, é justamente para evitar que você se endivide de novo.

Por mais que você queira quitar o débito para sair dos órgãos de consulta ao crédito, veja se a oferta cabe no seu orçamento.

De nada adiantará parcelar sua dívida no cartão em x parcelas de R$300,00, se você sabe que não tem esse valor disponível todos os meses.

Conclusão

Chegamos ao fim do nosso conteúdo especial sobre como negociar as dívidas do cartão de crédito e esperamos que após esta leitura você tenha entendido a gravidade do problema e quais são as melhores dicas para sair dessa situação com mais benefícios!

Posts relacionados

 Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

 Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência, conforme nossa Política de Privacidade, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.