Carregando

0%

Nos últimos meses, a alta do dólar tem se tornado um tema cada vez mais presente no cotidiano dos brasileiros, o que pode ser desafiador para os preços no dia a dia

A moeda americana, que se encontra em seu maior valor em relação ao real desde 2002, impacta diversos setores da economia e, consequentemente, afeta o bolso do consumidor. 

Mas, afinal, como essa valorização do dólar se traduz em nosso dia a dia? Para você entender mais sobre o assunto, elaboramos este guia informativo. Vamos conferir?!

Publicidade
Publicidade
  1. Pãozinho mais caro

Um dos primeiros produtos a sentir os efeitos da alta do dólar é o pãozinho. O trigo, principal ingrediente do pão, é importado em grande parte do Brasil, e seu preço está diretamente ligado à cotação da moeda americana. 

Com o dólar em alta, o custo do trigo aumenta, o que leva a um aumento no preço do pãozinho nas padarias.

  1. Combustível mais caro

O petróleo, outra commodity importante para a economia brasileira, também é cotado em dólar. Isso significa que a alta da moeda americana também impacta o preço do petróleo, e consequentemente, o preço da gasolina, do diesel e do gás de cozinha.

Publicidade
  1. Eletrodomésticos mais caros

Os eletrodomésticos também são afetados pela alta do dólar, pois muitos dos componentes utilizados em sua fabricação são importados.

Isso significa que, se você está pensando em comprar um novo eletrodoméstico, terá que desembolsar mais do que pagaria alguns meses atrás.

  1. Viagens internacionais mais caras

Para quem está planejando uma viagem internacional, a alta do dólar significa que os custos com passagem aérea, hospedagem e outros gastos no exterior serão bem mais altos.

Isso porque, com o dólar em alta, o real fica mais desvalorizado em relação à moeda americana, o que torna tudo mais caro para o turista brasileiro.

  1. Produtos importados mais caros

Diversos produtos que consumimos no dia a dia, como roupas, calçados, eletrônicos e brinquedos, são importados. Com a alta do dólar, esses produtos também ficam mais caros para o consumidor brasileiro.

  1. Investimentos em renda fixa mais atrativos

Em um cenário de alta do dólar, os investimentos em renda fixa podem se tornar mais atrativos. Isso porque, quando o dólar sobe, as taxas de juros no Brasil tendem a subir também, o que torna os investimentos em renda fixa mais rentáveis.

O que fazer diante da alta do dólar?

Embora a alta do dólar seja um desafio para o consumidor brasileiro, existem algumas medidas que podem ser tomadas para minimizar seus impactos:

  • Planejar o orçamento: é importante planejar o orçamento familiar com cuidado e levar em consideração o aumento da moeda na hora de tomar decisões de compra.
  • Comparar preços: antes de comprar qualquer produto, é importante comparar preços em diferentes lojas para garantir o melhor negócio.
  • Priorizar produtos nacionais: sempre que possível, dê preferência a produtos nacionais, pois eles não são afetados pela alta do dólar.
  • Investir em renda fixa: se você tem dinheiro sobrando, investir em renda fixa pode ser uma boa opção para proteger seu capital da inflação e obter retornos atraentes.

A alta do dólar é um fenômeno temporário e, com o tempo, a cotação da moeda americana deve se estabilizar. 

No entanto, é importante estar atento aos seus impactos no seu bolso e tomar medidas para se proteger da inflação!